Comer em Viagem

P1050229

Uma viagem implica sairmos do nosso local habitual – do nosso habitat.

No dia a dia estamos sujeitos a estímulos que se repetem dentro da rotina da nossa vida:

  • dormimos na mesma cama todos os dias,
  • temos um circuito definido de compras,
  • existe uma lista semanal de ingredientes fixos,
  • fazemos deslocações percorrendo sempre o mesmo percurso,
  • bebemos a mesma água,
  • respiramos o mesmo ar,
  • etc.

Existe uma grande permanência dos factores externos que nos influenciam.

No local em que vivemos procuramos encontrar as condições físicas e ambientais que nos fazem sentir melhor.

Quando realizamos uma viagem todos estes factores externos mudam e o corpo resente-se.

O que optamos comer durante uma viagem pode ajudar a reduzir efeitos secundários como os distúrbios digestivos ou má circulação.

Uma vez que, normalmente, durante uma viagem permanecemos algum tempo parados e sentados em espaços reduzidos, é importante ingerir alimentos que nos dão nutrição e não alimentos que apenas fornecem energia.

Os quatro grupos de alimentos que podem ser regeneradores perante as condições adversas de uma viagem, são:

  • Alimentos frescos
  • Líquidos
  • Cereais e alimentos integrais
  • Frutos secos e sementes

Alimentos frescos

Quando me refiro a frescos refiro-me a alimentos crus: em saladas ou em unidades, quer sejam vegetais ou frutas.

Transportar saladas em frascos é uma excelente forma de manter os alimentos frescos durante a viagem. Podem criar-se refeições completas e equilibradas.

Têm apenas a desvantagem de serem embalagens quebráveis. Se for de avião terá de optar por levar em caixas de plástico ou comprar saladas feitas nas lojas dos aeroportos.

Aconselho a ler sempre os ingredientes, pois por vezes não são assim tão frescas e utilizam conservantes químicos para se manterem conservadas por mais tempo.

Líquidos

É importante aumentar o consumo de água. Em geral nos transportes públicos o ar é condicionado. O que provoca secura nas vias respiratórias e é um ar pouco limpo e com pouco oxigênio.

Beber água ajuda a hidratação e a eliminar as toxinas que se vão acumulando devido à mobilidade física ser mais reduzida durante as viagens mais longas. Para além da água, beber sumos naturais, de preferência feitos na hora, torna-se uma alternativa remineralizante, leve e hidratante. Ajudam também no funcionamento intestinal.

Cereais e alimentos integrais

Os cereais dão o conforto e a sustentação.

Será melhor optar pelos integrais, seja pão, massas, arroz e outros alimentos com base em farinha.

As suas fibras são aliadas dos processos digestivos e de eliminação. O facto de serem integrais disponibilizam hidratos de carbono complexos saciando de forma mais prolongada.

Frutos secos e sementes

São óptimos Snacks e boas fontes de óleos essenciais.

Satisfazem e reduzem a necessidade de açúcar.

…..

Incidir mais nestes alimentos mesmo no local de permanência da viagem, pode ajudar a manter o corpo em bom funcionamento.

A regra básica de mastigar bem os alimentos deve ser ainda mais considerada numa situação de viagem.

Se tiver oportunidade, aproveite todos os momentos da viagem para se alongar. Pode visualizar uma sugestão aqui.

Boa viagem 🙂

O que é um alimento saudável?
Refeições no frasco