Nutrir a vitalidade – Parte 1

Se é comum chegar o final do dia sem vitalidade este artigo é para si.

Especialmente se acredita que a vitalidade está fora de si e que não se encontra aqui, mas em algo que vai adquirir que é externo a si e que uma vez adquirido será – como nas histórias de fadas – feliz para sempre.

três questões sobre a vitalidade antes de começarmos:

  1. A vitalidade encontra-se onde está agora – aqui. É aqui – mesmo – onde se encontra a ler este artigo. Não necessita de esperar e pode começar agora.
  2. A vitalidade não é uma fórmula. Mas um conjunto de princípios que deverão ser adaptados ao seu espaço, tempo e recursos pessoais. Por isso plantas, alimentação, exercícios ou locais de férias resultam tão bem para umas pessoas e para outras não. Ou, ás vezes resultam bem para si num determinado período da sua vida e depois como por magia, ou maldição, deixam de resultar.
  3. A vitalidade não é externa a si. Possui em si mesmo(a) as perguntas e as respostas para a vitalidade que necessita.

Foi a pensar nisso que filmei os próximos três vídeos – do qual este é o primeiro.

Três exercícios que lhe permitem activar e aceder por si e ao seu ritmo à vitalidade que esteja latente. Tomar consciência que ela está presente.

Estes exercícios são práticas tradicionais, o que significa um grande poder de adaptação e de ajuste mediante a sua condição.

Simultânemanete, pedem-lhe o desafio – consegue disponibilizar 3 minutos para si durante o dia. Mesmo, mesmo só para si?

Se não, esse é talvez o primeiro passo para iniciar este processo.

7 minutos de investimento e 3 minutos diários…

Se não consegue ver o vídeo no seu email por favor siga a ligação para ver este artigo no seu contexto original.

Este vídeo está incluído na divulgação do seminário Nutrir a Vitalidade com Peter den Dekker a realizar-se este mês dia 25 e 26 de Março. Mais informações aqui.

Desejo-lhe boas práticas.

Nutrir a Vitalidade - Parte 2
O que é o Chi Kung?