O que recebem os meus alunos quando fazem Chi Kung?

Tem sido um caminho longo,

Mas não de todo aborrecido.

Em 2008 comecei a integrar material de apoio nas minhas aulas.

Podemos observar uma aula de Chi Kung Terapêutico assim: o aluno chega realiza uma ou duas aulas todas as semanas, vai para casa e espera que a sua condição mude.

Podemos também observar assim: Que para além aula semanal o aluno é responsabilizado pela sua própria prática.

Porque mais poder, mais vontade de mudança significa também que da parte de quem pratica e quem deseja mudar deve existir também mais responsabilidade.

Por outro lado a responsabilidade não se compra no supermercado nem pode ser incutida por quem ensina, acreditem já tentei – exaustivamente durante 11 anos.

Por isso desde 2008 comecei a integrar material de apoio nas minhas aulas.

Durante a semana o aluno recebe textos de apoio à prática e mensalmente três vídeos com mais de 60 minutos que ajudam a organizar a prática durante o mês.

Quando como professores assumimos o papel de mediadores entre a prática e os alunos o ensino é mais fácil – em vez de desejar ser o motor de transformação, mais uma vez acreditem pode der cansativo e desmotivaste para quem ensina.

Isso não significa passividade, mas uma mediação activa entre o conhecimento e o aluno. Uma escolha pensada dos materiais mais adequados a enviar e a apresentar nas aulas.

Que material é este?

O que os meus alunos recebem?

Fica uma ideia – partilho convosco ABAIXO os três vídeos do mês passado sobre o tema da Vitalidade que exclusivamente os meus alunos receberam.

Entretanto as aulas já começaram esta semana em Lisboa e Braga.

Em Braga temos uma palestra de entrada livre sobre Chi Kung Terapêutico sexta 7 de Abril às 19 com prática incluída. Largo Senhora-a-Branca 130 – 1º.

Podem também ler aqui alguns testemunhos dos cursos ou aulas em que ensino.

Dúvidas, são bem vindas – claro.

Boas práticas.




Nutrir Vitalidade - Parte 3