Um coração saudável

Para a Medicina Tradicional Chinesa o Coração é aquele que organiza a nossa realidade.

Um bater do coração calmo significa que a sua realidade será percepcionada de forma mais pausada e harmoniosa.

Batimentos mais rápidos significam uma percepção da realidade mais veloz e caótica.

Este aspecto foi estudado no Sec. XX em soldados. São aqueles que têm um batimento cardíaco mais baixo – mesmo sobre stress intenso – que se mantêm mais calmos e têm mais hipóteses de sobrevivência no campo de batalha.

Sem ser necessário entrar num conflito armado, quando o seu ritmo cardíaco aumenta inesperadamente é comum, se tiver de desempenhar em público, que tenha “brancas” que transpire mais e que o discurso fique mais confuso.

Se estiver numa conversa em que a tensão sobe é natural que se arrependa mais tarde do que disse – quando o ritmo cardíaco baixou – ou que a sue versão, no dia seguinte, seja totalmente díspar dos outros(as) intervenientes.

心 (Xīn) é o ideograma que representa coração, mas é também o ideograma que representa mente. É frequentemente traduzido como coração-mente.

Este é um dos caracteres que é responsável pelo conceito de interligação indissociável do corpo – coração – com a mente – emoções. Esta é uma das “imagens de marca” da filosofia oriental.

Uma questão de ritmo

Uma alimentação ritmada e sem extremos significa a não utilização alimentos demasiado contractivos ou expansivos. Mais expansivos: açúcar, álcool, leite, gelados, frutos tropicais. Mais contractivos: enchidos, carne, queijos curados, gorduras saturadas e sal refinado. Alimentos mais expansivos aceleram o ritmo da vida criam uma euforia artificial e breve. É como se estivesse a conduzir um carro desportivo numa descida sem travões.

Alimentos mais contractivos desaceleram pela rigidez e contração que criam. É como se estivesse a conduzir um carro desportivo com o travão de mão sempre activo.

O coração gosta de um ritmo de cruzeiro com dinâmicas harmoniosas – como uma orquestra que alterna vários tempos, mas sempre com uma constância subjacente.

Um ritmo estável a nível nutricional significa cereais integrais, leguminosas, vegetais, picles, sopas, fruta da época e gorduras vegetais como base de uma alimentação diária.

Movimento

Exercício não competitivo é aquele em que explora com gentileza os seus limites e potenciais. Quando se transforma numa afirmação de si pela competição cria stress e ansiedade. Sempre que possível pratique no exterior, esta é a oportunidade de desconectar e encontrar o seu próprio ritmo e evitando efectuar comparações com o que gostaria de atingir, baseado nas imagens exteriores de outros participantes.

Os olhos

Olhar lesa o coração mas contemplar nutre-o. Conseguir criar estes dois momentos no seu dia num ritmo orgânico significa conseguir conectar mas também desconectar com a mesma facilidade de estímulos visuais. De conseguir olhar “ao perto” assim como levantar os olhos dos écran ou dos livros e olhar para a paisagem ou para o mais longe que lhe for possível. Idealmente integre ambos durante o dia. É preferível que realize pausas de 10 minutos em cada 30 ou 60 de trabalho intenso, do que realizar esta pausa no final do dia – mesmo que seja durante um período de tempo superior.

Consciência, a ponte para a estabilidade

É a consciência das sensações do corpo que criam uma maior comunicação entre o corpo e as emoções: Chi Kung, Meditação, Contemplação abrem a porta para este universo. Esta ligação não é todo esotérica e pode ser praticada onde quer que esteja e para onde quer que vá. Mesmo mais informalmente, como tomar a consciência de como respira, da sua postura ou dos pés no chão – de pé, na posição sentada ou enquanto caminha.

Domesticarão humana

Ambientes onde os espaço é restrito e com pouca circulação de ar constrangem o coração. Ambientes com luz reduzida alteram e afetam a qualidade de percepção da sua realidade para uma percepção mais artificial e descolorada.

Um coração quer-se livre e sem constrições que impeçam o seu ritmo. As cedência que possam ser feitas no sentido de uma vida mais “ligada ao mundo” e eficiente têm sempre custos à sua humanidade – a promessa da realização de algo mais rápido e eficaz trás consigo isso mesmo: aceleração. A longo prazo o coração vive momentos ansiosos de ritmos que não consegue cumprir – surgem demasiadas realidades para tomar conta e gerir com eficácia. Simplificar é alternativa à rapidez que lhe pode ser proposta. Em que a pergunta não é o que posso realizar mais rápido mas o que pode ser descartado para o que é essencial no dia a dia possa ser vivido, física e emocionalmente como um todo – com presença de corpo e alma.

Boas práticas

Em agenda:

Para dar seguimento a este tema vamos realizar no Espaço Regenerar uma palestra com entrada livre no dia 22 de Maio às 19h. O coração será o tema central.

A marcação de presença pode ser realizada para info@regenerar.pt

Fundamentos de Chi Kung
20 Livros essenciais sobre Chi Kung