Chi Kung para crianças e adolescentes

Na década de 90, numa prisão em Nova Deli na India, foi iniciado um dos projectos pioneiros de introdução da meditação em prisões. Este projecto está documentado no filme – Doing time doing Vipassana.

Neste documentário, ao ser criada a possibilidade de introduzir a meditação no seu estabelecimento prisional, a opinião da directora foi clara – Meditação para os reclusos sim, mas os primeiros a participar neste processo deverão ser ela e os guardas prisionais.

Introduzir Chi Kung nas escolas, é uma ideia que pessoalmente acredito ter bastante potencial. No entanto, devem ser criadas condições para que primeiro os professores e pais possam passar por este processo.

Não é sustentável nas escolas ensinar a comer melhor, a criar programas anti-tabagismo, a fomentar hábitos de vida saudáveis, se os professores e os pais não o fazem, ou, a motivar o aluno a encontrar a sua vocação, a fazer algo memorável da sua vida, se os professores e os pais não estão a viver incondicionalmente o seu Sonho.

Se por um lado, este pode ser um dos factores mais perversos da educação – existir o poder da parte do educador, de projectar nos alunos/filhos tudo aquilo que ele mesmo não conseguiu atingir, por outro lado, pode tornar-se também num dos factores de maior transformação – quando quem educa, entende que primeiro a mudança deve acontecer a partir de si e só depois, deve ser pedido ao aluno que faça aquilo que seja esperado.

Boas práticas

Educar a viver com as estações do ano
Educar Crianças como o Google