Respeitar o período de incubação

Em 1972 o Dr. Zhi-yun Bo ao encontrar o desafio de tratar pacientes seniores com dores lombares severas, o que não lhes permitia virarem-se de barriga para baixo nas camas de hospital, desenvolveu uma acupunctura que era realizada no abdómen.

Esta acupunctura permitia realizar o tratamento de barriga para cima, sem haver grande movimento por parte do paciente. 

Depois de algumas experiências preliminares bem sucedidas, trabalhou neste método durante 20 anos com uma consistência diária. 

Quando o tornou publico, 20 anos depois da sua descoberta, tinha por detrás uma pesquisa pessoal intensa e muitas horas dedicadas ao que acreditava. 

Hoje é uma das práticas de acupuntura mais utilizada nos hospitais chineses, pelo sucesso que tem.

Na natureza existem os chamados períodos de incubação, este período destina-se a refinar processos e a aprofundar e dar consistência ao que se está a gerar.

O tempo que um animal ou fruto demora a amadurecer é um período de incubação.

Mas também o tempo que um quadro, um livro, uma fotografia demora são períodos de incubação. 

Podemos ver outros processos como o tempo que um alimento demora a cozinhar e como isso é essencial, para potencia-lo com a energia do fogo que vai aquecer e nutrir internamente o corpo.

Uma ideia ou um projecto, o tempo que demoram a amadurecer mergulhados num processo de reflexão constante e criativa – está incluída neste grupo também. 

Hoje se pode-se cozinhar arroz em 3 minutos, quando um arroz completo, integral, demora cerca de 50 minutos, sem contar com o tempo de demolhar e lavar.  

Pode-se chegar a um destino num par de horas, quando antes poderia demorar um par de meses. 

É possível perder 8 kg por mês, quando antes o corpo ganhava peso e perdia segundo as estações do ano e segundo o movimento natural que lhe era proporcionado. No outono e inverno ganhava peso, na primavera e verão perdia – sim, naturalmente, sem dieta, sem ginásio e sem esforço. Isso ainda acontece se se respeitar um alimentação e movimento sazonal.

Viver num processo de incubação significa procurar o ciclo da terra o ciclo da gestação e receptividade,

  • Onde os espargos demoram dois anos até poderem ser comercializados com qualidade,
  • Um bom vinho ou cerveja tem de amadurecer,
  • Uma galinha demora no mínimo 8 meses – em oposição a 3 ou 4 semanas,
  • O pão tem uma fermentação lenta e natural e é feito com 3 ingredientes – farinha, fermento e sal. Mais que isto é complicar,
  • Onde o período de incubação de uma criança pode ir – sem pressa alguma – até às 42 semanas – e não apressar às 38 ou 40,
  • É permitido que as práticas de fortalecimento corporal levem o tempo que têm de levar e vão crescendo e incubando no nosso corpo com a idade e necessidades físicas, mentais e emocionais. Sem música alta, modas, repetições ou suor em gota. O Chi Kung, a Meditação não tem qualquer objectivo nem são ferramentas de controle do corpo e da mente. São práticas que nos ajudam a descobrir o corpo e a mente que temos e a viver bem com isso. Que afinal está tudo bem como somos. 
  • Onde os alimentos que se escolhem seguem o ritmo da terra e são consumidos quando está na época, não existe pressa em comer cerejas no natal – por exemplo,
  • Onde quando o corpo adoece ou entra em trauma é lhe permitido que  siga um caminho de repouso e regeneração, que lhe permite recuperar. Sem aditivos ou suplementos especiais.

O período de incubação é frequentemente esquecido, acredita~se que “saltar” este processo pode aumentar a produtividade, saúde, para a felicidade e uma vida mais satisfatória.

É numa vida com atalhos, que se acredita que se existe infelicidade, a causa é por não existirem atalhos suficientes. 

E facilmente se acumulam atalhos para resolver a vida e esquece-se que vida não pede para ser resolvida e que faz antes o convite para ser saboreada. 

É quando a vida se transforma em atalhos constantes, em que a incubação é esquecida, que surge a oportunidade de descobrir que com alguma probabilidade o caminho mais lento e de incubação é talvez o mais rápido – o melhor atalho. 

Boas práticas. 

P.s. Penso com frequência como seria se o Dr. Dr. Zhi-yun Bo ao colocar as as agulhas pela primeira vez e ao dar conta do seu sucesso tirasse uma selfie com o paciente e a colocasse a numa rede social, passando o resto do dia a verificar o telefone a ver se tinha muitos “Likes” e a responder a pedidos de amizade e mensagens de chat de congratulações. 

P.p.s. Sexta feira 13 | 18:30 vou estar em Braga, na Livraria Centésima Página, com conversas sobre como viver com a primavera, integradas na apresentação do Livro Regenerar – Guia de saúde e bem estar para viver em harmonia com as estações do ano. Se conhecem alguém em Braga partilhem por favor. 

Largar
Chi Kung Sénior